Últimas Noticias

segunda-feira, 9 de setembro de 2019

A REVOLUÇÃO RUSSA


A Revolução Russa.

No ano de 1917 ocorreu na Europa um fato que teve enorme repercussão no mundo inteiro: A REVOLUÇÃO RUSSA.

Havia muito tempo que o despotismo dos imperadores (CZARES) russos vinham desagradando a maioria da população do país, com uma economia agrária, a situação se agravava pela existência de uma miséria generalizada entre camponeses e trabalhadores urbanos.

No século XX, houveram diversas revoltas e em 1917, elas culminaram com a derrubada de czar. Com a participação dos trabalhadores, um novo sistema político foi então instalado: o socialismo.

A Rússia antes da revolução de 1917:

Em 1894 subiu ao trono do império russo o czar Nicolau ||. Desde o século XVI, o país era uma monarquia absoluta. A nobreza era proprietária de 25% das terras cultiváveis do país e a grande maioria da população cerca de 80% estava ligada direta ou indiretamente a terra.

As condições de vida da maior parte dos camponeses eram péssimas. Em geral, eles habitavam moradias precárias, alimentavam-se basicamente de pão preto, batata e farinha de milho. Nas aldeias raramente haviam escolas e a maioria da população era analfabeta.

No plantio e na colheita eram usados instrumentos agrícolas antigos, como o arado de madeira e a foice. Apenas nas grandes propriedades adotava –se uma tecnologia moderna, que permitia o aumento da produção.

Nas cidades a vida não era muito diferente da do campo.  Em 1838 uma investigação feita pelo conselho municipal de Moscou, abrangendo milhares de casas mostrou que grande parte da população vivia em péssimas habitações.
Com uma economia essencialmente agrária a Rússia tinha poucas industrias; a maior parte delas pertencia a proprietários estrangeiros. Principalmente franceses, ingleses, alemães e belgas.

Crise que originou o início das manifestações da revolução russa.

Os problemas internos da Rússia se agravaram ainda mais após a guerra Russo – Japonesa (1904-1905), em que os dois países disputavam territórios na China e áreas de influência no continente. A derrota perante aos japoneses mergulhou a Rússia em uma grave crise econômica e aumentou o descontentamento dos grupos sociais com czar Nicolau ||. Começarão assim a ocorrer greves e movimentos reivindicatórios, duramente reprimidos pela polícia.  

Em janeiro de 1905, trabalhadores de São Petersburgo, então capital do império russo organizaram uma manifestação para entregar a Nicolau || um documento que reivindicavam melhores condições sociais e de trabalho, cerca de 200 mil pessoas foram ao palácio de Inverno, residência do czar. As tropas do governo que estavam de prontidão, receberam os manifestantes a tiros de fuzil e o incidente ficou conhecido como domingo sangrento e provocou conflitos em toda a Rússia.  

Tentando diminuir as tensões sociais, o czar criou a DUMA, uma espécie de parlamento, contudo, os candidatos eleitos nas 4 primeiras DUMAS foram tão pressionados que pouco conseguiram fazer.
Esse ambiente contribuiu para a difusão e aceitação de ideias socialistas – sobretudos as elaboradas pelos alemães Karl Marx e Friedrich Engels, tais ideais seriam a base da revolução.

O início da revolução:

Em agosto de 1914 a Rússia entrou na Primeira Guerra Mundial contra a Alemanha e a Áustria-Hungria. Nicolau || acreditava que com a Guerra poderia expandir o império russo e diminuir a insatisfação popular. No entanto o fato apenas acentuou o descontentamento e precipitou o processo de revolução. A guerra agravou a situação econômica do pais, soldados mal armados e mal alimentados foram dizimados em derrotas sucessivas, em dois anos e meio estima-se que a Rússia perdeu 4 milhões de pessoas.

Em 1915 o czar decidiu assumir pessoalmente o comando do exército, deixando o governo com sua esposa Alexandra.

Em 1917, a escassez de alimentos era muito grande e provocou uma série de greves, em 27 de fevereiro uma multidão percorreu as ruas da capital pedindo pão e o fim da guerra, criticando o sistema monárquico.

A polícia e o exército agora do lado dos manifestantes não reprimiram as manifestações, isolado Nicolau || abdicou e um governo provisório foi constituído, chefiado pelo príncipe George Lvov, esse governo denominado pela burguesia decidiu continuar na guerra com planos de uma grande ofensiva contra a Áustria- Hungria, a ofensiva no entanto fracassou e isto agravou ainda mais a situação, o que provocou uma manifestação no dia 17 de julho de 1917 na capital, Era o fim do governo provisório de Lvov, substituído por Alexander Kerenski.  
  
A tomado do poder:

A partir de agosto de 1917, os bolcheviques (Maioria em russo), passaram as dominar as principais sovietes e a preparar a revolução. No soviete de Petrogrado (nome dado a São Petersburgo durante a guerra) foi criado o Comitê Militar para a Realização da Revolução.

Sob o comando de Trotski, no dia 25 de outubro os bolcheviques ocuparam pontos estratégicos de Petrogrado e o palácio do governo.
Na manhã seguinte os sovietes da Rússia, reunidos em congresso, confirmavam a triunfo da revolução confiando o poder ao conselho dos comissários do povo, presidido por Lenin.

As primeiras medidas do governo revolucionário foram:
·   Retirada da Rússia da 1° Guerra Mundial.
·   Suspensão das grandes propriedades rurais, confiadas agora ao comitê agrário.
·   Controle das fabricas pelos trabalhadores.
  Criação do exercito vermelho, com finalidade de defender o socialismo de inimigos internos e externos.

Exército vermelho:

Após a tomada do poder a Rússia viveu 3 anos de guerra civil, Nesse processo foi fundamental a participação de Leon Trotski, tendo sob sua responsabilidade a organização de tropas de defesa (O Exército vermelho), em condições extremamente precárias, recém saído da 1° guerra, Trotski conseguiu formar um exército forte e eficiente.

Com o apoio popular, as tropas revolucionarias enfrentaram o exército Branco, composto de antigos apoiadores do czar. Além de tropas europeias, japonesas e americanas que invadiram o pais temendo que a revolução socialista se espalhasse pelo continente.

Ao final de 3 anos de guerra, os brancos estavam derrotados e as forças estrangeiras deixaram o país.

A consolidação da revolução russa.

Sob a direção de Lenin e com um plano que ficou conhecido como Nova Politica Econômica (NEP), os bolcheviques deram inicio a recuperação da economia, elaborada em 1921, a NEP procurou concentrar os investimentos nos setores mais importantes da economia como: Produção de energia e extração de matérias primas, importação de maquinas estrangeiras e organização do comercio e da agricultura.

Vários países que tinham se separado da Rússia durante a revolução voltaram a se integrar e em 1922 formaram a URSS – União das Republicas Socialistas Soviéticas, estado federativo composto por 15 republicas.
Com a morte de Lenin em 1924, Stalin, secretário geral do partido comunista e Trotski passaram a disputar o poder.
Stalin defendia a ideia de que a União Soviética deveria constituir o socialismo inicialmente em seu país e só após levar aos outros países; Trostki por sua vez achava que a revolução deveria ocorrer em todo o mundo pois enquanto houvesse o capitalismo o socialismo não teria chance de sobreviver isolado.
Stalin venceu a disputa, Trotski foi expulso da URSS, a União Soviética então entrou na fase do planejamento econômico, foi a época dos planos quinzenais, inaugurada em 1928, os planos se sucederam e transformaram a URSS numa potência Mundial. Entretanto, á violência e o terror foram amplamente empregados pelo governo afim de impor sua política. 

Bibliografia:

História e Vida – Piletti Nelson e Pillete Claudino – São Paulo 2005.

Nenhum comentário:

Postar um comentário